Desafios da Economia Verde no Contexto do Desenvolvimento Sustentável

Evento do IEE/USP realizado na Arena da Barra, Rio Janeiro,no âmbito das atividades oficiais da sociedade civil na Rio+20.

Apesar do relativo consenso em torno do chamado desenvolvimento sustentável, tem sido difícil dar passos concretos na direção enunciada pelo Relatório Brundtland. Tal impasse é sem dúvida político, mas é também científico. Tendo caminhado tão pouco após a Rio+20, é legítimo perguntar: será que nossos modelos econômicos estão representando adequadamente o papel dos recursos naturais na trajetória de crescimento econômico disparada pela Revolução Industrial? Após duas décadas de negociações e pouquíssimos passos concretos, não seria o caso de ao menos investigar nossas hipóteses relativas à relação entre crescimento econômico e utilização de recursos naturais?

Para as Nações Unidas, o conceito subjacente ao termo “Economia Verde” é o de uma economia capaz de “melhorar o bem estar e equidade social, reduzindo significativamente os riscos ambientais e a escassez ecológica. Na sua expressão mais simples, uma economia verde pode ser pensada como de baixo carbono, eficiente no uso dos recursos e socialmente inclusiva”. Entretanto, a substituição do atual modelo de desenvolvimento e apropriação dos recursos naturais por modelos alternativos não pode ser bem sucedida se não estiver articulada à sua plena compreensão. É preciso que perguntas desagradáveis e difíceis comecem a ser feitas no s espaços de deliberação. Por que tem sido tão difícil transitar da era do petróleo para a era das energias renováveis? Por que os enormes ganhos de eficiência e produtividade observados desde a Revolução Industrial não tem resultado em diminuição dos impactos ambientais globais? Pode-se realmente esperar que algum dia conciliemos o crescimento econômico com as atuais demandas ambientais?

No âmbito das discussões pré Rio+20, este evento visou contribuir para esta análise a partir de três questões ambientais e econômicas: a dos resíduos sólidos, a das mudanças climáticas globais e a da energia, oferecendo temas ao escrutínio e também diferentes pontos de vista científicos sobre os elementos dessas problemáticas, na construção da agenda da sustentabilidade.

Programa Realizado

Abertura dos Trabalhos
Marina Yamamoto, Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP
Ildo Luis Sauer, IEE/USP

A pós-graduação da USP na Rio+20
Edmilson Dias de Freitas, Pró-Reitoria de Pós-Graduação da USP

Rio 92 e os desafios da Rio+20
José Goldemberg, IEE/USP

Plenária 1 – Resíduos Sólidos e Responsabilidade Pós-Consumo
Coordenação de José Roberto Cardoso, Poli/USP
Painelistas
Maria Cecilia Loschiavo, FAU/USP
Patricia Iglecias, FD/USP
Sylmara L.F. Gonçalves Dias, EACH/USP
Jessica Magnusson, SP Technical Research Institute, Suécia
Maria Dulcinéia Silva Santos, Coopamare
Debatedores
Branca Martins da Cruz, Instituto Lusíada para o Direito do Ambiente, Portugal
Sérgio Mardirossian, Proteste

Plenária 2 – Mudanças Climáticas: Adaptação e Mitigação
Coordenação de Tercio Ambrizzi, IAG/USP
Painelistas
Carlos Teodoro J. Hugueney Irigaray, Instituto O Direito por um Planeta Verde
Paulo Eduardo Artaxo Netto, IF/USP
Pedro Leite da Silva Dias, IAG/USP e LNCC/MCT
Debatedor Raul Silva Telles do Valle, Instituto Socioambiental

Plenária 3 – Recursos Naturais e Energia
Coordenação de Renato de Figueiredo Jardim, IF/USP
Painelistas
Ildo Luis Sauer, IEE/USP
Roberto Zilles, IEE/USP
Igor Polikarpov, IFSC/USP
Wagner Costa Ribeiro, FFLCH/USP
Debatedor Ricardo Baitelo, Greenpeace

O material resultante do evento (slides e gravação em áudio) estão sendo preparados para produção de uma publicação.